Campeão dos médios revela que não poderá lutar tão cedo

Michael Bisping antes da luta contra Thales Leites em Glasgow.

Photo by Josh Hedges/Zuffa LLC/Zuffa LLC via Getty Images

A demora para o agendamento da luta entre Michael Bisping e Georges St-Pierre tem irritado muita gente. Inclusive, o presidente do UFC, Dana White, chegou a dizer que o duelo tinha sido cancelado, mas a informação não foi confirmada oficialmente pela organização.

Em conversa com o podcast “Believe You Me”, o campeão inglês revelou que sofreu uma lesão no joelho, o que faz o adiamento ser benéfico para ele:

“É uma bênção disfarçada, porque eu não vou poder lutar tão cedo. Não consigo treinar, porque estou com sérios problemas no meu joelho. Já estava sentindo isso na Tailândia, e não melhorou nada. É uma longa história, mas a verdade é que não vou poder lutar por algum tempo. Por isso, o cenário acabou sendo perfeito para mim.”

Bisping garantiu que o Ultimate ainda não o informou sobre o possível cancelamento da luta contra o canadense:

“Honestamente, isso é novidade para mim. Não me falaram nada a respeito. Falei com Georges e ele me disse que também não recebeu nenhuma posição oficial. Nenhum membro da direção do UFC falou comigo. Sei que muita gente está reclamando pela demora dessa luta contra GSP. Vamos ver o que acontece… Para deixar as coisas claras, até o momento o UFC não tem nenhuma posição oficial. Eu e Georges estamos esperando. Me ofereceram essa luta duas vezes: primeiro em outubro, e nada aconteceu. Depois em janeiro ou fevereiro, e as coisas caminharam. Fizemos a coletiva, apertamos as mãos e falamos uma porção de besteiras em Las Vegas. Ainda não assinamos o contrato, mas o plano é que lutemos. Houve uma oferta e eu aceitei. Acredito que, uma vez que o acordo está feito, temos que mantê-lo.”

Para o campeão, o UFC precisa de disputas de cinturão em eventos numerados e isso é o que faz a organização apressar a luta dele:

“Talvez eles precisem de um campeão ativo para lutar o quanto antes. Acho que esse é o ponto principal. Não acho que estejam tentando pressionar Georges. Eles precisam de uma disputa de cinturão nos cards numerados, e eu entendo isso e a frustração por parte deles e de muitos dos pesos-médios. Esperar até novembro é um atraso muito grande. Mas, como eu disse, temos um acordo, e preciso falar com o UFC para saber o que está acontecendo.”

Ao ser questionado sobre as críticas de Luke Rockhold, Michael Bisping afirma que o rival não tem motivos para propor uma greve entre os lutadores da divisão dos médios, diferente de outros atletas:

“Rockhold não tem motivos para ficar falando. Alguns têm, para ser honesto. Yoel Romero está esperando há algum tempo, assim como Robert Whittaker e Gegard Mousasi. Dou razão a esses três. Mas eu tenho uma luta marcada. Até ouvir algo diferente do UFC, espero que meu próximo compromisso seja enfrentar Georges St-Pierre”, finalizou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *