Em busca de redenção, Herbert Burns encara russo no One Championship

Foto: Sondermarketing

Foto: Sondermarketing

Voltar a vencer. Esse é o foco principal de Herbert Burns em seu próximo compromisso pelo One Championship, maior evento de MMA da Ásia. No dia 5 de agosto em Macau, na China, o faixa-preta brasileiro terá, pela terceira vez seguida, um russo em seu caminho. Para retomar o caminho das vitórias, ele terá que derrotar o campeão mundial de Sambo Magomed Idrisov.

“Será o terceiro russo seguido que eu vou encarar. Tenho uma vitória e uma derrota. Estou treinando bastante, me dedicando ao máximo para deixar esse placar favorável pra mim. O Magomed Idrisov é um cara muito experiente no Sambo. Ele é campeão russo, europeu e mundial. Ele também é um bom striker. Um cara muito duro, mas eu não esperava nada diferente. O One sempre coloca pedreira pra mim. Mas eu estou preparado para ele. Preciso impor o meu jogo de chão, impor o meu Jiu-Jitsu e fazer o que faço melhor. Trabalhei bastante o meu Wrestling para derrubar, jogar por cima e usar o meu Jiu-Jitsu”, disse Herbert.

A última luta de Herbert foi em fevereiro, quando conheceu a primeira derrota na carreira. Para não repetir os erros de seu último combate, o campeão mundial de Jiu-Jitsu sem kimono se mudou para a Flórida, onde treina com seu irmão Gilbert Durinho na equipe Combat Club, e se manteve ativo disputando torneios de grappling.

“Estou conseguindo fazer um bom camp para essa luta. A expectativa é chegar lá e voltar a vencer. A minha última luta eu não fui bem, e eu não gosto de perder. Tirei várias lições daquela derrota, corrigi a preparação e vou melhorar a minha atuação dentro do cage. Cometi erros de estratégia na minha última luta, vinha de um longo tempo sem lutar, estava enferrujado, mas dessa vez tentei corrigir isso. Lutei alguns campeonatos sem kimono aqui nos Estados Unidos. Fui campeão do Miami Open, do NAGA, e faturei o cinturão do New Breed na semana passada”.

Além de buscar a redenção, essa será a última luta do contrato de Herbert com o One Championship, o que poderia aumentar a pressão sobre o faixa-preta. Mas ele garante que usa essa pressão como fator motivacional nos treinos.

“Estou vindo de uma derrota, mas a minha cabeça está zerada. Pressão sempre existiu. Antes era para manter a invencibilidade, agora é para voltar a vencer. Tem pressão também porque é a última luta do contrato… Eu tento levar essa pressão para o lado bom, para me motivar nos treinos. Além disso, Tem uma galera muito boa aqui, o meu irmão Gilbert Durinho, o Henri Hooft com o Sean Soriano e o Robin Van Roosmalen, campeão do Glory, na parte de striker, tem o Greg Jones e o Kami Basinski no Wrestling, parceiros de treinos como o Michael Chandler, Desmond Green, Nick Lentz, Michael Johnson… Treinando com eles eu sei que a minha confiança vai estar muito boa”, encerrou o casca-grossa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *