MACKENZIE DERN E SUA PRIMEIRA LUTA DE MMA NO BRASIL

Foto: Thiago Duval

Mackenzie Dern se prepara para a sua segunda luta no Ultimate e para a brasileira-americana o duelo terá um sabor especial já que será a primeira vez que a lutadora irá atuar no Brasil como profissional de MMA, onde terá pela frente Amanda Cooper no UFC 224 que será realizado no próximo sábado (12), no Rio de Janeiro.

Em entrevista ao MMA4Ever, em parceria com o Lutas Esporte Clube, Mackenzie Dern falou sobre a sensação de lutar pela primeira vez no Brasil, sua carreira e a transição do Jiu-Jitsu para o MMA.

“A sensação de lutar no Rio é a melhor do mundo, pois é uma luta que pedi, pedi para estar nesse card, sabia que teria uma energia muito boa, então quero representar muito bem o Brasil, estou representando o Brasil nessa luta. Essa é a minha primeira luta de MMA no Brasil e muito bom poder estrear no Rio de Janeiro, estou muito ansiosa”, disse.

Em sua primeira luta como profissional de MMA no Brasil, Mackenzie Dern terá pela frente Amanda Cooper e a brasileira-americana falou sobre seu duelo.

“Muitas pessoas perguntam o que mudei da primeira luta para essa e para mim mudou tudo, porque as adversárias são muito diferentes. A Ashley (Yoder) é canhota, cumprida, faixa marrom de Jiu-Jitsu e nunca foi finalizada, então é uma menina difícil de finalizar. Já a Amanda (Cooper) é a da minha altura, é boxer só, acho que faixa azul de Jiu-Jitsu, mas todas as derrotas dela são por finalização e um jogo é completamente diferente, então muda muita coisa, mas ainda não estou treinando específico para uma adversária, estou treinando para ser uma melhor Mackenzie possível. Acho que meu melhor chão ou melhor trocação pode ganhar da Amanda, não importa se ela é do Boxe, Muay Thai, Jiu-Jitsu, então acredito que no tempo certo vou ganhar dela. Estou bem ligada para essa luta, pois sei que pode vir um soco ou joelhada, normal contar qualquer jiujiteira, estou prestando atenção nessas coisas, mas estou treinando para mim mesmo”, disse.

Mackenzie Dern estreou no MMA em 2016 e em menos de dois anos, a lutadora chegou ao UFC. A brasileira-americana fala sobre a rápida ascenção na carreira.

“Na verdade eu queria chegar mais cedo no UFC, mais rápido, mas ano passado tive uma lesão no joelho onde fiz uma cirurgia. Eu lutei em março e operei em maio, queria lutar em junho e entrar no UFC em outubro, mas com a cirurgia só voltei a lutar em outubro no peso de cima, mas eu queria lutar no UFC de 52. É um pouco complicado, pois já perdi para a balança duas vezes, mas eu queria mostrar que podia lutar no UFC pelos palhas e precisava lutar mais uma vez para mostrar que podia bater 52, então acho que tinha que fazer uma luta nesse peso e se eu lutasse bem eles iriam me chamar e graças a Deus pude fazer minha estreia em março”, disse Mackenzie Dern, que também falou sobre a transição do Jiu-Jitsu para o MMA.

“Foi uma mistura muito boa, pois sou aquele tipo de pessoa que gosto de aprender, quando cheguei no alto nível de Jiu-Jitsu, conquistei tudo que queria ter conquistado, eu achei que queria mais, para mim era muito pouco. Estava sentindo saudade, desse negócio de faixa branca, faixa azul, onde tinha uma evolução e eu estava sentindo falta disso, saudade de alguém me mostrar uma coisa nova e eu usar e pensar “Nossa eu estou aprendendo”, estou gostando de ter essa sensação de ser faixa branca de novo, mas é muito difícil você está no alto e voltar do zero e foi assim que fiz no MMA, comecei do zero. Eu não saí do Jiu-Jitsu porque estava perdendo, porque já passou meu tempo, eu podia ter continuado e estar no meu melhor, mas eu que fiz a escolha de entrar no MMA, começar do zero, como se fosse uma faixa branca, deixar tudo que eu tinha a certeza e deixei de lado para tentar essa jornada e pensei que era hora de ir para o MMA . Foi bom e ruim, bom por sentir a sensação de faixa branca de novo, mas a vezes um pouco frustrante, pois as vezes só queriamos puxar para guarda e usar o Jiu-Jitsu, mas as vezes vem os socos na cara, entramos em pânico e puxamos para a guarda”, disse.

Mackenzie Dern chega ao UFC para atuar no peso-palha (até 52kg), a brasileira-americana falou sobre a categoria e aproveitou também falar sobre o crescimento do MMA feminino.

“O crescimento de mulheres no UFC é grande e a minha categoria é a mais cheia e acho que tem muita mulher sinistra, mas a gente sabe que abriu outra categoria, agora temos quatro categorias, o MMA feminino está crescendo muito, a vezes a gente vê que tem lutas melhores do que algumas masculinas, então está crescendo muito e fico muito feliz de fazer parte desse crescimento”, disse Mackenzie Dern que também pensa em subir de categoria.

“Eu penso talvez em subir de categoria depois que eu conseguir ganhar na minha categoria, fazer estilo McGregor com dois cinturões de duas categorias, a gente nunca pode deixar de sonhar, temos que sonhar alto né (risos)”, brincou a lutadora.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *