Rodrigo Cavalheiro mostra sua força no Brave 11

Foto: Renato Nogueira/FotoNaLuta

O Brave Combat Federation desembarcou pela primeira vez em Belo Horizonte na última sexta-feira (14) e palco da edição na capital mineira foi a Esplanada do Mineirão. O Brave 11 contou com um card repleto de lutadores do primeiro escalão do MMA mundial e um dos principais destaques foi Rodrigo Cavalheiro que conquistou uma grande vitória ao nocautear Alessandro Gambulino ainda no primeiro round.

Atleta experiente e com passagens por eventos internacionais como o Bellator e KSW, Rodrigo Cavalheiro fez sua primeira luta no Brave e teve uma grande estreia na organização, onde nocauteou Alessandro Gambulino no primeiro round. O paranaense falou sobre sua vitória e disse que o triunfo foi fruto de uma boa preparação.

“A minha vitória foi consequência de um bom treinamento que tive e graças a Deus tive um bom camp de treinamento. Comecei meu treinamento em Curitiba, na minha equipe, a Noguchi Team, e também fiquei três semanas no Rio de Janeiro fazendo meu camp de treino pesado na TFT, eles me ajudaram muito já que conheciam o jogo do meu adversário, então a estratégia foi sobre o que eles conheciam sobre meu adversário. Então a vitória veio como consequência de um bom treinamento e a cabeça boa. Gostaria de fazer um agradecimento a todos que ajudaram nos meus treinos, minha equipe Noguchi Team, o pessoal da American Top Team, a galera do Rio de Janeiro da TFT, meus treinadores e o mestre Ricardo Libório, todos eles me deixaram preparado para a minha estreia. Também quero agradecer aos meus patrocinadores que me apoiaram bastante para essa luta”, disse Rodrigo Cavalheiro que também disse que uma boa estratégia foi importante para a vitória.

“Essa vitória veio devido a uma boa estratégia de minar e frustrar o adversário, fazendo ele errar para colocar meu jogo em prática, parece que foi desenhado, pois tudo que foi planejado aconteceu na luta. Ele tentou me colocar para baixo, então procurei anular o jogo dele para nocauteá-lo e graças a Deus consegui, através da sintonia que tive com meus corners. Estou muito feliz com a vitória e espero estar de volta o quanto antes no evento, lutando para ficar nas cabeças e ir atrás do cinturão”, disse.

Rodrigo Cavalheiro chegou ao Brave após se destacar no cenário nacional e passagens por grandes eventos internacionais como o Bellator e KSW. Mesmo aos 35 anos, o paranaense disse que sentiu o famoso “frio na barriga”, mas garantiu que isso não atrapalhou para a estreia na organização.

“Esse frio na barriga todo mundo sente, comigo deu na hora da pesagem, nos dias que fico com fome, mas no dia da luta fiquei bem calmo e mais tranquilo para a luta. Não senti o peso de estar estreando no evento, acho que isso é devido a minha experiência que acaba me deixando mais tranquilo para controlar a ansiedade e o nervosismo”, disse.

Após a vitória, Rodrigo Cavalheiro espera ter agradado os dirigentes do Brave e fala sobre o futuro na organização. O paranaense sonha com o cinturão dos meio-médios (até 77kg), que atualmente está com Carlston Harris com quem Cavalheiro iria lutar, mas o guianense foi promovido à disputa de cinturão e sua luta acabou caindo.

“Agora meu primeiro plano é um contrato com o Brave e que eles me deem a oportunidade de crescer no evento. Quero buscar o cinturão, o adversário que eu ia lutar acabou caindo e hoje ele é o campeão do Brave, então enquanto ele estiver com o cinto, quero uma oportunidade de lutar com ele, pois já era para acontecer essa luta, mas eu preciso ver o que o evento me oferece para eu ter essa luta. Meus planos para o futuro é crescer com o evento e quero ser o campeão da categoria. O meu contrato era apenas de uma luta e eu estava dependendo de fazer uma boa luta, então acredito que com essa bela vitória podemos sentar e discutir sobre um contrato. Tenho certeza que deixei uma boa impressão, já que fui o único que venci por nocaute, os outros foram nocautes técnicos e o meu foi o único no primeiro round e consegui apagar meu adversário. A minha ideia é fazer história no Brave, é isso que eu busco, quero crescer com o evento e conquistar o cinturão futuramente” planejou.

O Brave 11 além de realizar a estreia de Rodrigo Cavalheiro na organização, promoveu a primeira luta do paranaense como agenciado por Leonardo Espirito Santo, também conhecido por Léo Hipertensão por conta de sua participação no programa da Rede Globo. Cavalheiro falou sobre a experiência com o seu novo empresário.

“Eu já tive empresário, que cuidava da minha carreira na época do Bellator, mas não deu muito certo e hoje estou com o Léo Hipertensão, ele está trabalhando com atletas e eu fechei com ele para tomar conta da minha carreira. O trabalho está no início, a gente está se conhecendo e o pouco que estivemos juntos na semana do Brave foi produtivo e a gente adiantou muita coisa. Ele parece ser um cara que entende muito o atleta, do que ele precisa e das melhoras que os atletas precisam, vi que ele é uma pessoa que está afim dos mesmos objetivos de melhoras e sempre evoluir para termos um bom resultado, então acho que ele veio para somar e vai somar muito no meu trabalho para chegarmos onde almejamos chegar, se Deus quiser. Graças a Deus começamos com o pé direito em nosso primeiro trabalho junto e tivemos uma bela vitória em um bom evento, então acho que tem tudo para dar certo”, disse.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *